11 diferenças entre o bom chefe e o grande chefe
Profissão

11 diferenças entre o bom chefe e o grande chefe

Se você tiver sorte, teve a chance de trabalhar com um líder memorável, humilde, carismático e excepcional que provou ser um ícone na execução das responsabilidades do dia a dia, um desses verdadeiros líderes, que valoriza sua opinião e ouve, procura melhorar você tanto quanto procuram melhorar a si próprios.

Se você tiver ainda mais sorte, atualmente está em posição de adotar essas características em seu papel de líder, para nutrir sua equipe e promover sua excelência de acordo com a sua.

Tendo tido a oportunidade de trabalhar sob esse chefe ideal e, eventualmente, mudar para esta posição eu mesmo, posso honestamente atestar o fato de que a função pode ser imensamente gratificante através de ambas as perspectivas. A sabedoria flui continuamente. Você pode aprender muito com um grande líder, que pode então ensinar a sua equipe; e você pode aprender muito com sua equipe, o que pode então incorporar em seus esforços como um grande líder.

1. Bons chefes realizam as coisas. Grandes chefes realizam as coisas de maneira eficiente e eficaz, sempre focando em alcançar o nível máximo de eficácia possível e melhorando progressivamente a entrega de resultados.

2. Bons chefes ouvem e são receptivos às ideias de sua equipe. Grandes chefes forçam os funcionários a falar, pensar fora da caixa e instigar um fluxo eficaz de ideias. Eles nutrem a imaginação de seus funcionários e promovem o pensamento inovador.

3. Bons chefes arregaçam as mangas e fazem coisas sozinhos para ilustrar um desempenho exemplar. Grandes chefes arregaçam as mangas e fazem coisas, não apenas para liderar pelo exemplo, mas para contribuir para a equipe como um todo. Eles não têm medo de sujar as mãos e trabalhar para contribuir genuinamente com a equipe, em vez de delegar responsabilidades.

4. Bons chefes encorajam os funcionários a se desenvolverem em suas respectivas funções e oferecem assistência quando necessário. Grandes chefes forçam ativamente os funcionários a se desenvolverem em suas respectivas funções, desafiando-os, monitorando seu progresso e estimulando seu aprimoramento, entendendo que eles têm a mesma responsabilidade de se desenvolver continuamente.

5. Bons chefes transmita elogios e reconhecimento. Grandes chefes não precisa transmitir elogios, pois sua equipe está eternamente equipada com um senso de realização. Os funcionários entendem inerentemente que seus esforços são continuamente valorizados e reconhecidos.

6. **Bons chefes fazem críticas construtivas. Grandes chefes oferecem conselhos, elogios e críticas construtivas. Eles são uma válvula de escape ativa para a sabedoria e seus funcionários os veem como um meio de aprender mais - uma fonte de conhecimento.**

**

7. Bons chefes buscarão alcançar o alcançável. Grandes chefes irão acreditar no inacreditável. Eles morderão mais do que podem mastigar e procurarão inspirar confiança ao fazê-lo. Alcançar o impossível proporcionará uma experiência memorável e promoverá determinação e tenacidade dentro do grupo como um todo.

8. Bons chefes são profissionais. Grandes chefes não são apenas profissionais, mas demonstram sinceridade, personalidade e são genuinamente humanos. Embora o profissionalismo seja admirável, o profissionalismo misturado com um fragmento de humanidade benevolente é inspirador.

9. Bons chefes seguem as regras e minimizam qualquer medida de discórdia. Grandes chefes assumem uma posição impopular quando necessário e aceitam o desconforto de se desviar do status quo. Eles se destacam por traçar um território desconhecido e demonstram que abordagens dinâmicas podem levar a melhores resultados.

10. Bons chefes garantem que seus funcionários não t morda mais do que eles podem mastigar. Grandes chefes alimentam seus funcionários mais do que o necessário, não para sobrecarregá-los, mas para desafiá-los e mantê-los em alerta. Em vez de deixar as chamas da motivação morrerem, os grandes chefes estão sempre atiçando o fogo.

11. Bons chefes são humildes. Grandes chefes são tão humildes que colocam as necessidades de seus funcionários acima das próprias, não permitem que um título e uma diferença de salário afetem sua relação com qualquer funcionário. Eles se conectam a cada funcionário em um nível profissional e pessoal, percebendo que a aprendizagem é uma atividade que pode ser retribuída pelo professor.

“Liderança e aprendizagem são indispensáveis ​​uma para a outra.” - John Fitzgerald Kennedy

Crédito da foto em destaque: MorgueFile via morguefile.com

**